Aristides de Sousa Mendes

Aristides de Sousa Mendes com mulher e seus primeiros seis filhos. 1917.
A família Sousa Mendes em 1917.

Nunca é de mais recordar Aristides de Sousa Mendes: hoje, particularmente, quando passam 70 anos sobre o fim do pesadelo de Auschwitz.

Sousa Mendes salvou mais de 30.000 judeus. Oskar Schindler, o alemão celebrizado pelo filme de Spielberg, “A Lista de Schindler”, salvou 1200.

Não nos esqueçamos nunca da frase de Aristides: “salvar uma vida é como salvar o mundo inteiro”.

******************************

Foto: http://www.sousamendes.org/prog/banque-photos.php

Aristides de Sousa Mendes

Passam hoje 60 anos sobre a morte de um homem grande – Aristides de Sousa Mendes, o beirão[1] que salvou a vida de 30.000 judeus durante a II Guerra Mundial. Com isso, foi proscrito pelo regime de Salazar[2] e passou a viver na miséria, numa pequena aldeia do centro-norte de Portugal, onde morreu em 3 de abril de 1954. Aristides representa bem o espírito humanitário que caracteriza, desde tempos imemoriais, o povo português. Pela sua coragem, humanidade e determinação, o Yad Vashem[3] reconheceu-o, a 18 de Outubro de 1966, como “Justo entre as Nações”. Jamais o esqueceremos.

————————————————————————————

[1] Natural da Beira-Alta, província de Portugal, no interior-norte do país.

[2] Ditador que governou Portugal durante 36 anos (de 1932 a 1968), principal figura do chamado Estado-Novo.

[3] Memorial oficial de Israel para lembrar as vítimas judaicas do Holocausto.