Einstein Haus

A Kramgasse, em Berna, na Suíça.

Einstein nasceu em Ulm, na Alemanha, em 1879, mas ainda adolescente transferiu-se para a Suíça, fixando-se em Zurique. Em 1896 renunciou à cidadania alemã, ao que dizem, para fugir à tropa e em 1901 conseguiu a nacionalidade suíça. Einstein ambicionava ser professor do Politécnico de Zurique, mas a relação com os professores, o mau desempenho nas aulas laboratoriais e, sobretudo, as faltas às aulas fizeram-no desistir do curso. Para sobreviver, passou a dar aulas em casas particulares e também, pontualmente, em algumas escolas de Winterthur e Schaffhausen.

A situação de Einstein era difícil, mas um amigo, Grossmann, pediu ao pai que recomendasse Einstein ao diretor da Agência Federal de Patentes, em Berna, Friedrich Haller. Einstein mudou-se para Berna em janeiro de 1902 e conseguiu o emprego em junho do mesmo ano. O salário anual que auferia era de 3.500 francos, o que, juntamente com os ganhos das aulas privadas, lhe permitiu finalmente viver sem sobressaltos.

Logo da Einstein Haus à porta do nº 49 da Kramgasse.

Desde a sua chegada a Berna, Einstein mudou seis vezes de casa, acabando por se fixar (por dois anos) com a mulher, Mileva, e posteriormente também com o segundo filho de ambos, Hans Albert1, no 2º andar da Kramgasse, 49. Einstein viveu neste apartamento de 1903 a 1905 – o ano em que surpreendeu a comunidade científica ao publicar, nos Annalen der Physic, quatro importantes artigos.

Os temas dos quatro artigos eram o efeito fotoelétrico2, o movimento browniano, a teoria da relatividade restrita, e a equivalência entre massa e energia. Estes trabalhos pioneiros que se mantêm ainda hoje marcos incontornáveis no que diz respeito à compreensão física da natureza, proporcionaram de imediato a Einstein o reconhecimento dos mais proeminentes físicos do seu tempo.

O segundo andar. À entrada do apartamento.

Ainda hoje se considera espantoso que Einstein tenha produzido tanto em tão pouco tempo, na verdade em cerca de quatro meses, pois os artigos de 1905 foram todos publicados entre março e junho desse Annus Mirabilis.

(Há quem diga que o afastamento da vida académica foi benéfico para Einstein, pois assim ele pôde pensar livremente e dar asas à sua incrível intuição).

Em 14 de setembro de 2015, as Sociedade de Física Europeia e Sociedade de Física Americana, representados pelos respetivos presidentes, reconheceram o local onde Einstein morou na Kramgasse, 49, a Einstein Haus, como o primeiro Sítio Histórico de ambas as sociedades.3 Na cerimónia, que contou também, entre outros dignitários, com a presença do Dr. Hans-Rudolf Ott, presidente da Albert Einstein Society, proprietária do museu, foi afixada, no 3º andar, uma placa comemorativa.

A sala de estar do pequeno apartamento onde Einstein viveu entre 1903 e 1905.

Nós tivemos o privilégio de visitar, em setembro de 2021, esta casa onde Einstein viveu. A Einstein Haus4, renovada em 2005, cem anos depois do Annus Mirabilis, e decorada ao estilo da época, é constituída pelo apartamento do 2º andar, onde Einstein morou, e pelo 3º andar, onde encontramos uma exposição dedicada às vida e obra deste célebre cientista. A entrada custa 5 CHF e a Einstein Haus está aberta ao público todos os dias da semana, entre as 11 e as 16 horas.

**************************************************

Adenda:

Depois de mais alguns anos em Berna, Einstein regressaria a Zurique e posteriormente à Alemanha, onde ocupou o cargo de Presidente da Sociedade Alemã de Física. Foi neste período que publicou (em 1916), no mesmo periódico de Berlim (Annalen der Physic), a sua teoria da relatividade geral. As descobertas de Einstein, juntamente com a mecânica quântica, constituem hoje a base de toda a Física.

Einstein subverteu para sempre os conceitos, estabelecidos até então, de espaço, tempo, massa e energia, e, graças a ele, a humanidade deu um salto enorme na compreensão do Universo, de que é parte integrante.

Em confronto com o nazismo, Einstein fugiu para os Estados Unidos, onde viveu os seus últimos vinte anos, falecendo na cidade de Princeton em 1955.

Placa conjunta da APS e da EPS no 3º andar da Einstein Haus.

**************************************************

Notas:

1 Sabe-se que Albert e Mileva tiveram uma filha antes, mas o destino desta permanece obscuro. Ao que parece, Einstein, que não queria que se soubesse que tinha uma filha antes de casar-se, mandou Mileva grávida para a Sérvia. De acordo com Malcolm Otero e Santi Giménez, “apesar de mãe e filha terem estado prestes a morrer, Einstein nunca foi vê-las. O que se passou com a menina é um mistério. Alguns biógrafos dizem que morreu muito pequena, outros que foi dada em adoção e outros que viveu até há pouco, em Novi Sad, sob o nome de Zorka Kaufler.” (Malcolm Otero e Santi Giménez, El Club de Los Execrables, Penguin Random House, Barcelona, 2018, p. 146).

2 Por este artigo, em especial, Einstein ganhou o Prémio Nobel da Física de 1921.

3 https://www.aps.org/publications/apsnews/201511/einstein.cfm.

4 Decidimos manter o nome original, em alemão.

**************************************************